Capuccino com Mingau

Músicas para sexta

Sexta feira chegou, e embora para mim sextas já não façam tanta diferença assim (tenho prova todo sábado), eu ainda fico contando os dias para sexta feira chegar. Acho que ainda não me acostumei com a ideia. Enfim, eu ontem estava ouvindo umas músicas, e resolvi compartilhar com vocês. São músicas animadas, que me trazem nostalgia e alegria como ninguém. Animadas exceto por My Girl, mas eu não pude deixar de compartilhar essa música com vocês, apesar de saber que a maioria já deve conhecer.

Anúncios

A arte de Natalie Shau

Natalie Shau é uma ilustradora Russa, que hoje vive na Lituânia. É uma artista, que trabalha com fotografia, pintura e photoshop, e nisso ela trabalha melhor do que ninguém. Sua arte é bela e um tanto sombria, o que deixa seus trabalhos ainda mais curiosos e atraentes. Ela se inspira em contos de fada, imagens religiosas, literaturas de terror, e alguns contos clássicos da literatura Russa como Fiódor Dostoiévski, Nikolai Gogol, entre outros. Eu me apaixonei pelo trabalho da artista, sou muito fã desse estilo meio sombrio. Aqui estão algumas de suas obras:

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

(minha preferida)

Se vocês se interessaram tanto pelo trabalho da Natalie quanto eu, dêem uma olhada no Deviantart, Carbonmade e Facebook.

 

Anime: Special A

Image

Gente, hoje vim falar pra vocês de um anime que eu ando vendo e viciei. Quem me conhece já sabe que eu sou muito fã dessa cultura oriental, em alguns posts aqui do blog mesmo, já fiz em eventos otakus, e é uma coisa que realmente me encanta. E por isso, resolvi compartilhar com vocês.

Special A é um shoujo perfeito, que se passa em uma escola de elite no Japão, nessa classe especial para os sete melhores alunos da escolas, e lá temos os meus sete queridos, mas os dois principais são a Hikari e o Takishima, que são os dois melhores na escola, e vivem competindo. Eles são “rivais” , o sonho de Hikari é um dia vencer o Takishima em alguma coisa, e ela se esforça ao máximo para isso. O decorrer da história é um amor, gente. É muito envolvente, e a gente acaba se envolvendo nas competições.

Um dos motivos por eu ter gostado tanto de Special A, é o perfeito do Takishima é a Hikari, que é uma personagem forte e esforçada. Ela luta pelo que acredita, e pelo que quer, e quer vencer de Takishima por mérito dela, não por trapaça, ou algo assim. Além de que ela sabe lutar muito bem, e desde o ano passado, quando eu entrei em uma aula de Muay Thai (é assim que escreve?) por engano, pensando que era pilates, eu acabei me apaixonando por artes maciais, só que nem de longe eu sou tão boa quanto a Hikari ou o Takishima.

Tudo o que eu vejo, leio, ouço, etc., tento tirar algo de bom para mim, e Special A trouxe isso de bom para mim: o esforço. Sou uma garota meio preguiçosa, admito. Mas ver como Hikari se esforça e é dedicada, me fez querer pular da cama e começar a estudar, ou a aprender alguma coisa nova, e eu acho isso super importante e legal.

Espero que vejam Special A e gostem tanto quanto eu. Beijinhos.

Suas Cartas

Image

Respirei fundo antes de abrir o envelope. Queria ler, precisava ler, mas eu sabia que isso me faria tanto bem quanto mal. Toda vez que eu lia, eu me sentia bem, como se você ainda estivesse aqui comigo, para conversar, rir, e falar bobagens. Mas quando eu terminava de ler as cartas que foram programadas por você, a chegar semanalmente por correio, eu chorava desesperada, como se eu nunca mais fosse parar. Eu precisava de você. Precisava da sua voz firme e grossa, me falando coisas sem sentido. Precisava ds suas ligações de madrugada. Precisava ouvir sua risada. Precisava de você.

                Agarrei a carta contra o meu peito, enquanto o tic tac irritante do relógio soava pelo meu quarto, deixando o momento ainda mais preocupante. Tic tac, tic tac… sim, era desesperador. Eu precisava ler, ler as cartas era como ouvir sua voz novamente. Mas, se minha mãe me pegasse no mesmo estado em que fico, depois que termino de reler centenas vezes suas palavras tão doces em uma caligrafia torta, imaginando sua voz lendo-a para mim, me pergunto em que estado ela ficaria. Provavelmente mandaria me internar, e eu não posso correr esse risco. Mas eu iria correr, pensei suspirando. Eu era o ser mais teimoso que conhecia depois de meu avô, então é obvio que leria aquela carta, tanto faz se me fizesse bem ou mal, ainda tinha sido você quem as havia escrito.

                Abri a carta numa ansiedade funebre, encontrando suas mais lindas palavras de amor e sinceridade, e até alguns pensamentos bobos, em uma simples folha de papel. Comentava em voz alta algumas coisas, me irritava em voz alta com outras, como se você estivesse ao meu lado e pudesse me ouvir, e me conhecendo do jeito que conhecia, comentava sobre minhas prováveis reações como se fosse um profeta, e as comentava, o que me fazia rir abobadamente. Ninguém me conhecia tão bem quanto você.

                E então, a carta acabou. E eu a reli centenas de vezes, e quando finalmente consegui deixar a carta de lado, me entreguei á iminente dor que resultava depois de ler suas cartas. Meus bichos de pelúcia me encaravam, como telespectadores de minha dor e angustia, inclusive alguns que você tinha me dado, os quais eu chorava agarrada, implorando á Deus que eu ainda pudesse ter você. Sim, eu sentia sua falta.

Inspiração

Essa semana eu andei meio sem inspiração, por isso não postei nada. Acho que não é justo com vocês fazer um post sem sentido algum, só para ter algo para vocês lerem no blog. A ideia do Capuccino não é eu escrever por obrigação, e sim por amor, e diversão. O que acaba favorecendo não só a mim, mas vocês: vocês não verão posts sem sentido, que só estão aqui para que vocês leiam. Peço perdão por ter não ter postado, mas eu não abandonei o Capuccino. Enfim, como eu estava sem inspiração, e com muita vontade de postar aqui, mas com medo de postar alguma coisa sem conteúdo, eu então resolvi compartilhar umas fotos no weheartit que me inspiraram, ou que eu achei fofos para compartilhar com vocês.

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

 

Resenha: Eragon

Image(Amei essa foto, mesmo desfocada)

Eu li Eragon, e com certeza, foi um dos melhores livros que eu já li. Eu sou apaixonada por magia, ficção, e dragões. Alguns amigos meus dizem que eu vivo num mundo de sapos-prícipes-e-princesas. Então Eragon foi uma das melhores coisas que eu já li. Quando o vi na livraria, comecei a dar pulos, e não saí de lá sem ele. [Obrigada á Victoria, que me emprestou dinheiro pra completar, pois eu não tinha o suficiente no momento].

Image

Eragon foi escrito por Christian Paolini, que começou a escrevê-lo quando tinha apenas quinze anos, o que me deixou fascinada, pois a linguagem, e a fantasia que foram criadas parece que foi feito por alguém muito mais velho e com mais experiência, mas começou a ser escrito por ele quando tinha quinze anos. Terminei de ler Eragon com uma grande admiração por esse escritor.

Enfim, a história é uma aventura medieval muito bem escrita, e apesar de ter uma linguagem um tanto formal por se passar na epoca medieval, eu achei uma linguagem fácil e acessível, mas isso vai depender de cada que for ler. O livro obriga você a imaginar, e faz você roer as unhas de curiosidade. Tem umas partes bem mornas, mas outras que fazem você não querer largar o livro. Os capitulos são curtos, o que faz você antes de dormir usar a velha desculpa “só mais um capitulo”.

Image

Image

Eragon não é um livro que a gente termina de ler em dois dias. Você tem que prestar atenção aos detalhes, entender a história. Por isso demorei tanto a acabar de ler. E aqueles que esperar por um envolvimento romântico entre Eragon e uma outra personagem, lamento decepcioná-los, mas o primeiro livro é mais aventura, mas ao que tudo indica pelo final do livro, o segundo livro promete um envolvimento romântico de Eragon com uma personagem que eu amo.

Image

Espero que leiam e achem Eragon tão fascinante quanto eu.

Fazenda Parte Dois

Image

Image

Image

Image

Image

 

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

 

Image

Image

Image

Image

Image

Tentativa fadiga de fotografar eu e a minha prima pulando, mas gostei da foto.

ImageImage

Image

Image

Uma das coisas que eu mais amo fazer na vida: cavalgar. Amo a sensação de liberdade, o vento acariciando meus cabelos, e a velocidade perfeita que o meu cavalo corre. Amo a adrenalina que corre por meu corpo toda vez que cavalgo, é uma sensação inexplicável, a qual eu amo.

Image

Image

Image

Image

Esse coelhinho fofo todo encolhido por causa da chuva, é do celeiro, uma famosa lanchonete que tem na estrada. As fotos a seguir são tods lá.

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Eram opostos

Image

“Ela enxergava a ternura e a beleza da vida

Ele a maldade e a ignorancia

Ela enxergava a lua durante a noite

Ele enxergava apenas a vasta solidão

Eram completos opostos

Não faziam sentido nenhum juntos

 

Ela era a garota exemplo

E ele o garoto os quais os pais advertiam seus filhos para se afastarem

Todos a amavam

Todos sentiam medo dele

Ela era todo sorrisos

Ele raramente sorria

 

Ela sentava na cadeira da frente

E ele na ultima carteira

A vida os uniu com um sorriso e uma troca de olhares

Olhares curiosos e instigantes

Fascinados pelo desconhecido

 

Não faziam sentido algum juntos

As pessoas os encaravam sem compreender

Ninguém entendia

Apenas eles

 

Ele descobriu que a garota sorrisos chorava toda a noite escondida

E ela descobriu que ele não enxergava a lua, mas via as estrelas

Um casal confuso

Sem sentido algum

A sociedade não aceitava, não compreendia

 

O garoto problema ria com mais frequencia

E a garota sorrisos demonstrava o que sentia com mais facilidade

Eles eram opostos

Completamente diferentes

Não faziam sentido algum

 

Ela aturava seu vicio em cigarros

E ele a sua mania por perfeição

Ela enxergava os cortes por baixo dos moletons dele

Ele via a tristeza por tras de seu sorrisos

Juntos se ajudaram

 

Os pais dela não aceitaram

Os dele nem se importaram

Ela gritou, se rebelou pela primeira vez na vida

Ele conversou com o pai

Ela o beijou,

Ele afagou seu cabelo enquanto ela chorava silenciosamente

Eram opostos

 

Ela aprendeu a ser forte

Ele já não se cortava mais tanto

Ela já não era mais a garota exemplo

Eles estavam felizes

Não faziam sentido algum

 

Ela pedia em lágrimas pra ele largar o cigarro

Ele não conseguia

Ela chorava durante a noite

Ele sentia a decepção dela

 

Ela ria honestamente com ele

Ele a falava o que pensava

Ela era ela mesma com ele

Ele não compreendia porque ela estava com ele

 

Ela estava feliz

Ele comprou um anel

Ela chorou emocionada

Casaram-se

Eram opostos

 

Ela o libertou de seus demônios

Ele a mostrou que não era ruim ser quem era

Eles riam na mesma sincronia

Não faziam sentido algum

 

Ela escutava as tosses dele apreensiva

Ele não gostava que ele escutasse

Ela insistia para ele ir no médico

Ele insistia em não

Ambos eram teimosos

Pelo menos nisso combinava

 

Ela lhe contava sobre seus planos sobre o futuro

Ele os ouvia com atenção

Eles se amavam ternamente durante a noite

Eram opostos

Como a lua e o sol

Ainda assim se amavam

 

Ela engravidou

Ele não acreditava

Ela vomitava

Ele limpava seu vomito sorrindo

Eles estavam felizes

Não faziam sentido algum

 

Discutiam sempre

Mas sempre se entediam

As tosses dele estavam mais frequentes

E a barriga dela cada vez maior

 

Ela chorou implorando que ele fosse ao medico

Ele aceitou apenas para não irritá-la

Ela ficou satisfeita

Ele não sabia como contar-lhe a triste verdade

 

Os dois choravam juntos

O bêbê sentia a dor

Estava cada dia mais próximo para que o filho nascesse

O dia tão esperado chegou

E sob os choros da criança

O sorriso deles prevaleceu

Eram opostos

 

Era um menino saudável e amado

Ela o amava e cantava sobre amor

Ele o ensinava a andar, e tocava seu violão

Ela estava preocupada

Ele lutava contra isso

O bêbê observava sem compreender

Ela chorou o beijando como em tantas noites

E ele fechou os olhos para sempre

Não faziam sentido algum

Apenas se amavam.”- Mariana Vale Gonçalves.

Música: Jessica Ashley

Estava passeando pelo youtube quando encontrei essa cantora maravilhosa. Me encantei especialmente por essa música, e acho que foi por isso que descobri ela. Peter Pan é meu conto de fadas favorito, juntamente com Alice no País das Maravilhas. Então quando vi o nome “Neverland”, o vídeo saltou chamando minha atenção, e eu rapidamente cliquei, e me surpreendi. A voz dela é maravilhosa, e ressoa pelo quarto, dando um elemento quase mágico á voz dela, além do clipe ser igualmente maravilhoso. Fui procurar sobre ela no google, e percebi que ela não é muito conhecida, mas consegui descobrir algumas coisas.

Jessica Ashley tem dezenove anos, e é de Nova York. Ela começou colocando covers no youtube, e se estabilizou com um grande número de fãs fiéis por causa da voz e do talento. Em 2008, ela foi contratada, e hoje está maravilhosa cantando suas próprias músicas, com um pequeno mas fiel número de fãs. O seu hit mais conhecido é 24 Hours, que é tão belo quanto Neverland, e surpreedentemente maravilhoso.

Quem se interessou e gostou do trabalho dela tanto quanto eu, aqui está o site oficial dela,   e a página dela no youtube

Fazenda

Fui passar a virada de ano na fazenda de meu avô, e é claro, que como toda vez que eu vou para a fazenda, eu estava muito animada. Amo aquele lugar, amo as coisas que eu posso fazer lá, amo a liberdade que aquele lugar traz pra mim. É realmente maravilhoso. Além de que eu posso me afastar um pouco do clima da cidade pra ir pra essa parte do paraíso que eu tanto amo. E, é claro, que eu não pude deixar de tirar várias fotos. Foi uma tarefa difícil selecionar apenas algumas para colocar aqui, mas aqui estão:

Image

Image

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Achei esse gatinho em uma das minhas caminhadas matutinas até o curral para poder registrar com a minha câmera tudo o que os meus olhos viam, e me apaixonei por ele. Corrigindo, por ela, já que é fêmea, e eu e minha prima a batizamos de Tigresa. Quase a trago pra Belém, e chorei quando tive que deixá-la, tendo a consciência de que, quando eu voltasse, ela não se lembraria de mim, ou mesmo, estaria ali. Foi um desafio imenso ter que deixá-la lá.

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

 

Image

Como são muitas fotos, vou dividir o post em dois. Esse e mais outro. Beijos, como foram as ferias de vocês?

Navegação de Posts